Os discos da semana #113 (07/05 a 13/05)

Salve, discólatra!

Esses são os 9 álbuns/EPs e 11 singles que mais escutamos nos últimos dias aqui na redação do DCV!

Não deixe de seguir a nossa playlist de lançamentos, ela é atualizada semanalmente por Jônatas Marques e Vitor Silveira. A capa é de William de Abreu. Bora conferir?


Entre álbuns, EPs e singles, alguns destaques da curadoria:

Ratos de Porão – Necropolítica

Em outubro de 2021 o Ratos de Porão comemorava exatos 40 anos enquanto gravava o um novo álbum, seu primeiro desde 2014. Neste meio tempo o Brasil passou por um processo de degradação política e social como não se via há décadas.

Se por um lado o país nunca esteve perto de resolver seus problemas estruturais, estes últimos anos trouxeram de volta a fome, a inflação, as ameaças de rompimento com a democracia e, como se não bastasse, uma pandemia.

O resultado de tudo isso foi “Necropolítica”, um álbum conceitual sobre a era Bolsonarista e a ascensão da extrema direita no país. A parte musical por sua vez traz uma revisitação do período crossover da banda no final da década de 1980, época igualmente marcada pela crise e desilusão.


Vanessa Longoni – Tudo Tinha Ruído

O EP Tudo Tinha Ruído nasceu do show de mesmo nome – apresentado pela primeira vez em 2019 – antes do início da pandemia. O período de criação do show durou seis meses, entre pesquisa, ensaios e concepção. “Só depois disso que fui para o estúdio. Prefiro o processo assim: experimentar, vivenciar a música antes de entrar no estúdio e senti-la dentro de uma história e com pessoas assistindo”, descreve Vanessa.

Enquanto o álbum anterior “Canção para Voar” tinha origem na necessidade da leveza, da delicadeza da voz, “Tudo Tinha Ruído” vem do  desassossego e da inquietação dos tempos atuais.

“Ele nasceu da fragilidade política do país de 2018 para 2019 e do rumo que as coisas tomaram a partir daí, mortes sendo naturalizadas, pessoas em suas bolhas, os feminicídios, homofobias, o desafeto…”, enumera Vanessa.


Zamba Rap Clube – Do Luto A Luta (single)

O Zamba Rap Clube está de volta. Afronauta, Vinicius Preto, Cesar Hostil e Wagner Mendes voltam com força total! Após um hiato de 6 anos, trabalhando nos projetos solos dos integrantes, o grupo volta trazendo o primeiro single de 2022 “Do Luto A Luta“, lançado no último dia 13 de maio.

Música que faz parte do próximo álbum intitulado “Beleza do Caosque tem o lançamento previsto para esse ano. A música também vem com um videoclipe, que pode ser assistido aqui.

“O Dia 13 de Maio, que não é um dia para o povo preto celebrar e nem dia de comemorar, é um dia de lutar, entender que estamos em um momento para sair do luto interno e ir para a luta diária.”


Leia a bula:

Álbuns e EPs
1. A Transe – Chorey
2. Aline Gonçalves – Pacífico
3. Ana Sucha – Lunática
4. Listen to Marcella – Ella (2015 – 2022)
5. Luiza Goto – Lábia
6. Lule Mental Butter – The Adventures of Mental Butter
7. Rafael Tofanelo – Músicas para Acalmar o Coração, Vol. 1
8. Ratos de Porão – Necropolítica
9. Vanessa Longoni – Tudo Tinha Ruído

Singles
1. Banda Cambaia – Febre 2
2. Diego Tavares – 3 Invernos (Ao Vivo do Estúdio Tranpolim)
3. Duo Chipa – José Bagaço
4. Duzi – Um Tanto Surreal
5. Eva Figueiredo – Torvelina
6. Faca Preta – Cães de Rua
7. Sessa – Canção da Cura
8. Uiu Lopes – LULU
9. Victória dos Santos – Estou Velha
10. Xênia França – Renascer
11. Zamba Rap Clube – Do Luto A Luta


Continue usando máscara conforme a necessidade e em locais fechados. Vá vacinar quando for a sua vez e não ouça o atual presidente.

Aquele abraço e até semana que vem!

Vitor Silveira
Últimos posts por Vitor Silveira (exibir todos)

Vitor Silveira

Vitor Silveira, é graduado em Biblioteconomia pela UFRJ, e também tem formação técnica em Produção Audiovisual pela FAETEC. Atualmente divide a vida entre pesquisas em Humanidades Digitais e o portal Disconversa, onde contribui como editor, colunista e webmaster, assim como produtor e editor de áudio no Disconversando. Entre opiniões polêmicas e informações obscuras, enxerga em um disco do Cartola a mesma beleza que no Metal Machine Music do Lou Reed.

Deixe um comentário