Os discos da semana #81 (11/09 a 17/09)

Salve, discólatra!

Nesses últimos dias, escutamos 16 álbuns / EPs e 20 singles, que fazem parte da nossa playlist. Do krautreggae ao folk, do indie a MPB, você encontra tudo aqui no Disconversa!

Não deixe de seguir a nossa playlist de lançamentos, ela é atualizada semanalmente por Jônatas Marques e Vitor Silveira. A capa é de William de Abreu. Bora conferir?

JOCA, Sain & Jonathan Ferr, Kaê Guajajara, Lucas de Castro, Maria Ó, Martiny, Seithy, Tagore, UmQuarto e VIRIDIANA lançaram clipes que valem o confere, basta clicar no nome de cada artista para assistir!


O álbum Mini Bad, do Satanique Samba Trio ficou de fora da playlist porque foi lançado apenas via Bandcamp.


Entre álbuns, EPs e singles, alguns destaques da curadoria:

Estranhos Românticos – Último Sol por Vitor Silveira
Terceiro e derradeiro álbum da banda carioca de indie-tropical Estranhos Românticos, em atividade desde 2014. O álbum conta ainda conta com o remix dos Latexxx de “Mergulho no Saara“, faixa do álbum (2020). Último Sol foi produzido pelo argentino Seu Cris e a banda, e mistura rock indie, Tropicália, new wave, Jovem Guarda, pós-punk e psicodelia.


Kaê Guajajara – Kwarahy Tazyr por Vitor Silveira
Eis aqui um dos melhores, mais necessários e urgentes discos de 2021. Kaê é multi artista – cantora, rapper, compositora, escritora, atriz, arte educadora e ativista – nascida em Mirinzal (MA) e pertencente à etnia Guajajara. Moradora do complexo de favelas da Maré (RJ) desde criança, ela fala com propriedade das lutas, dos espaços e dos corpos marginalizados. “Tecendo a minha própria história a partir do ponto de vista originário, me encontro com o Sol, que tanto me ensina em suas diversas formas, fogo, fumaça, ar, fazendo com que cada dia que se passa, eu tenha menos medo de me posicionar contra narrativas que apagam pessoas indígenas em diversos contextos”, resume Kaê.


Kristal Werner – Aurora por Jônatas Marques
Além de cantora, compositora e produtora, Kristal é beatmaker, professora de música e formada em Música Popular pela UFRGS. Só pelo currículo já se espera um baita trabalho da artista – e ela entrega com louvor. Aurora trafega entre muitos estilos diferentes, logo na primeira faixa ela passa por elementos da bossa nova e algo mais pop; Ressaca, a segunda música, já emula um jazz com algo mais introspectivo, e as outras duas faixas seguem com essa diversidade de estilos sem perder a identidade como EP. Aurora segue a temática das fases da depressão, importante debate levantado e retratado pela artista neste lançamento. Kristal fala sobre a concepção do seu EP, a temática da depressão e sua experiência pessoal, além de apresentar as faixas ao vivo, em um vídeo muito interessante. O EP foi lançado pelo selo Peneira Musical (diverse lab).


Satanique Samba Trio – Mini Bad por Vitor Silveira
Mini Bad é o décimo segundo lançamento da CULTUADA (sim sou um dos fiéis da cultuada banda) Satanique Samba Trio, que na verdade é um quinteto. O álbum reúne b-sides e sobras de estúdio de “Bad Trip Simulator # 3” (2013), “Xenossamba” (2017) e “Forrivel” (2020). Sonoramente, com o perdão de não explicar a altura, é como se Ornette Coleman encontrasse os Barões da Pisadinha pra tomar um café. Enfim, o álbum terá seu lançamento físico num vinil 10″ em breve, chama aqui: sataniquesambatrio@sataniquesambatrio.com.br


UmQuarto – Apenas por Jônatas Marques
Com algumas pitadas de Selvagens à Procura de Lei e Maglore, a banda UmQuarto lança o seu primeiro álbum: Apenas. A primeira faixa dá uma impressão de um disco instrumental e mais virtuoso, mas logo logo você repara nas referências que citei anteriormente. Vez ou outra essa virtuosidade toda e um tanto de psicodelia voltam em alguns trechos do disco e essa mistura casou bem, principalmente nas faixas Remendo Blues, Sua Presença e Algo a Dizer. De 2020 pra cá, a banda já lançou 5 singles e agora esse primeiro álbum. Vale a pena ficar ligado nas próximas coisas que vêm por aí.


Entre os singles, destacamos:

Jards Macalé & João Donato – Síntese do Lance por Vitor Silveira (ouça aqui)
Macalé e Donato são figuras que dispensam apresentações, né? Na música, que apresenta o álbum de mesmo nome, a ser lançado já em outubro pela Rocinante, os dois recebem o trombonista Marlon Sette num samba inspirado no Zé Pelintra. Facilmente um dos discos mais esperados por esse que escreve.

Joice Terra – Leveza por Jônatas Marques (ouça aqui)
Essa é uma daquelas músicas autoexplicativas, que nem precisam de uma descrição: Leveza traz tudo o que seu título fala, uma canção calma, que te faz parar no meio de um caos mental e relaxar nos seus pouco mais de 5 minutos de duração. Joice não usa muitos elementos para transmitir essa paz através desse single: um instrumental e letras simples e que ganham contornos de tranquilidade nos compassos repetidos. A artista lançou um EP em 2017 e mais dois singles (em 2019 e 2020). Joice Terra começou sua carreira bem cedo, aos 13 anos, e já participou de diferentes projetos e festivais musicais. A cantora e compositora está na fase de produção do seu primeiro álbum solo.

Seithy – Sem Nome por Vitor Silveira (ouça aqui)
Estreia musical do artista multidisciplinar e luthier curitibano Seithy, e também primeiro single de seu álbum “Haikai Espiritado“. O álbum será lançado pelo Selo Diáspora, um projeto de Hugo Noguchi que pretende dar visibilidade para que artistas racializados se insiram de modo profissional no mercado musical, buscando descendentes das diásporas africana e asiática, bem como das internas brasileiras. “Decolonize o som / Mas tenta ouvir também / A voz que se apagou, que embranqueceu / Amém.”

Seithy – Sem Nome por Jônatas Marques
Confesso que de cara o single de Seithy passou um tanto despercebido por mim, mas foi só até eu dar play na faixa e ser levado pela maluquice muito bem organizada pelo artista. De cara, Sem Nome lembra muito Kiko Dinucci e alguns trabalhos do Metá Metá, com um timbre gritante de guitarra e uma levada quebrada acompanhada pela voz. O single é o primeiro lançamento de Seithy nas plataformas digitais e apesar dos seus 1:17 de duração, esse tempo foi o suficiente para o artista mostrar o que pode vir por aí.

VIRIDIANA – menina por Jônatas Marques (ouça aqui)
Uma das minhas gratas surpresas de artistas em 2021 é VIRIDIANA. E mais uma vez fui surpreendido positivamente: o single menina é uma faixa que soa muito pessoal, mas que toca também ao ouvinte. É uma canção que te faz olhar para quem você foi e quem você é hoje, é aquela análise sobre si mesmo em formato de música. Os versos cantados por VIRIDIANA te levam nessa viagem reflexiva e o instrumental cria um ambiente confortável o suficiente para você nunca mais querer sair desse lugar. O single menina é o terceiro de VIRIDIANA, que prepara um álbum para ainda esse ano. O lançamento de menina é pela PWR Records.


Leia a bula:

Álbuns e EPs
1. Arthur Joly – Arthur Joly Apresenta: Robot Reggae
2. Charme Chulo – O Negócio É o Seguinte
3. Estranhos Românticos – Último Sol
4. Fael – Aqui e Agora
5. Galápagos Rising – …and yesterday all the stars fell on earth
6. JOCA, Sain & Jonathan Ferr – Sombra & Água Fresca
7. Jorge Du Peixe – Baião Granfino
8. Kaê Guajajara – Kwarahy Tazyr
9. Kristal Werner – AURORA
10. Linearwave – IV
11. Maria Ó – Quantas Vezes A Gente Nasce?
12. Satanique Samba Trio – Mini Bad
13. soul.za – O Mal de Lennon
14. Tagore – Maya
15. UmQuarto – Apenas
16. Vanguart – Intervenção Lunar

Singles
1. Caetano Brasil – Carinhoso
2. Caetano Veloso – Anjos Tronchos
3. Colidente – Adverso
4. Duda Brack, Ney Matogrosso & Baiana System – Ouro Lata
5. Érico Moreira – Quando a Maré Encher
6. Jards Macalé & João Donato – Síntese do Lance
7. Joice Terra – Leveza
8. Lu Horta & Maurício Pereira – Mulheres de Bengalas
9. Lucas de Castro – Barba na Tua
10. Martiny – Tu vê
11. MIDRA – Maré
12. Nimbo – Só
13. Paulo Ohana – Caminho Caminho
14. Rafa Martins – Sincero
15. Seithy – Sem Nome
16. Shitiago – C I D A D E
17. Superclima82 – Vortex
18. Vai Time – Gastura
19. VIRIDIANA – menina
20. Vivi Rocha – Amanhã o Sol


Continue usando máscara e, sempre que possível, mantenha o isolamento social. Vá vacinar quando for a sua vez e não ouça o atual presidente.

Aquele abraço e até semana que vem!

Vitor Silveira
Últimos posts por Vitor Silveira (exibir todos)

Vitor Silveira

Vitor Silveira, é graduado em Biblioteconomia pela UFRJ, e também tem formação técnica em Produção Audiovisual pela FAETEC. Atualmente divide a vida entre pesquisas em Humanidades Digitais e o portal Disconversa, onde contribui como editor, colunista e webmaster, assim como produtor e editor de áudio no Disconversando. Entre opiniões polêmicas e informações obscuras, enxerga em um disco do Cartola a mesma beleza que no Metal Machine Music do Lou Reed.

Deixe um comentário