#TBT – As capas de Elifas Andreato

Com traço inconfundível, artista plástico ilustra a música brasileira desde o começo da década de 1970.

Nascido no Paraná, Elifas é um dos mais cultuados capistas da MPB. Sua carreira teve estreia na coleção História da Música Popular Brasileira que, como ele mesmo declara, abriu caminho para o trabalho com capas de LPs. O traço do pintar ilustra álbuns de artistas como Martinho da Vila, Chico Buarque, Elis Regina e Paulinho da Viola. Segundo matéria do Correio Braziliense, sua produção já inclui mais de 700 discos.

Elifas também trabalhou com publicidade, jornalismo e fez arte para diversos cartazes, posteres, revistas e fascículos de coleções – sem contar seus cartazes e quadros denunciando a violência atroz da ditadura militar. Em 2008, a abertura da minissérie “Queridos Amigos” trouxe diversas obras de Andreatto animadas, com destaque para “Menino e Bandeira” (1998).

O traço de Elifas é único e, ao se deparar com uma capa dele, a identificação é automática. Com sua pintura poética e sua marcante defesa aos direitos humanos e valores éticos, o artista fez história na MPB e nas artes plásticas no Brasil na seguna metade do século XX. Encontramos em suas obras muitas pinturas de retratos e elementos como cores em degradê e a presença constante de signos como o palhaço, o céu e a lua. Seu trabalho mais recente em LP é a capa do disco de sambas do cantor Criolo, Espiral de Ilusão (2017).

Postado originalmente em 18/07/2019

Lucas Vieira

Lucas Vieira tem 26 anos, é jornalista e produtor de conteúdo no Disconversa. Seu gosto musical (quase) se resume em MPB e rock das décadas de 1960 e 1970. Além disso, gosta de videogames antigos, fotografia, assistir os mesmos filmes mil vezes e se vestir como se estivesse em qualquer década, menos a atual.

One thought on “#TBT – As capas de Elifas Andreato

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *