Saiba tudo sobre a edição em vinil de Little Electric Chicken Heart, da Ana Frango Elétrico

Trigésimo quinto disco editado pela Noize foi lançado em vinil vermelho opaco e já tem tiragem esgotada

Little Electric Chicken Heart é o segundo álbum da carioca Ana Faria Fainguelernt, ou Ana Frango Elétrico, como é mais conhecida no rolé. Lançado originalmente pelo selo Risco – que também já lançou Maria Beraldo, Jonas Sá, O Terno e Sessa, entre outros – o álbum é o 35º lançamento da Noize Record Club.

Ana Frango Elétrico começou a carreira cedo. Já nos tempos de escola tinha uma banda, a Almoço Nu. Aos 20 anos lançou seu primeiro disco solo, Mormaço Queima. Também participou de outros discos que tiveram lançamento em vinil, como <Atrás/Além> (O Terno, 2019), Travesseiro Feliz (Ricardo Richaid, 2020), Mente (Thiago Nassif, 2020) e Xepa/Nata, uma coletânea com cinco bandas da cena carioca.

Como os discos lançados pela Noize saem em tiragem limitada você não pode nem pensar muito, se demorar a comprar corre o risco de não conseguir, o que foi o meu caso. Então cabe um agradecimento ao grande amigo William Mathias, de quem adquiri o título. Aliás, leiam os textos dele aqui no Disconversa!

O álbum saiu em vinil vermelho opaco, capa gatefold, encarte de duas folhas com poster e com a ficha técnica completa no verso, numa prensagem caprichadíssima. O som é bem definido e alto, como manda a cartilha.

A cantora, compositora, poeta, ilustradora, guitarrista e produtora apareceu em várias listas de melhores de 2019, ganhou o troféu de revelação do ano na categoria Música Popular do prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA), e marcou presença em vários canais gringos, como The Needle Drop, Aquarium Drunkard e o Radio Friendly.

A própria Ana Frango Elétrico define o seu som como bossa pop rock decadente com pinceladas de punk, tudo isso e mais um pouco nos 29 minutos de Little Electric Chicken Heart. Sonoramente o disco passeia por Nora Ney, Burt Bacharach, Tom Zé, David Bowie e Rita Lee.

Infelizmente o álbum não está mais à venda através de canais oficiais, mas pode ser encontrado no momento do lançamento dessa matéria a partir de R$ 200 no Discogs. Uma outra ótima opção é adquirir Escoliose: paralelismo miúdo, o primeiro livro da carreira da artista, que está em pré-venda no site da editora Garupa, com a opção de pacotes em que os CDs estão inclusos!

Com posfácio escrito por Heloisa Buarque de Holanda, o livro reúne poemas, gravuras e ilustrações feitos entre 2015 e 2019. Nele, a autora assimila poéticas várias para compor o conceito-chave de seu trabalho, autodenominado “paralelismo miúdo”: de Yoko Ono a Ana Cristina Cesar, passando por Rimbaud e Garcia Lorca, pela poesia concreta, pela blague modernista e pelo ready-made.

Vitor Silveira
Últimos posts por Vitor Silveira (exibir todos)

Vitor Silveira

Vitor Silveira, é graduado em Biblioteconomia pela UFRJ, e também tem formação técnica em Produção Audiovisual pela FAETEC. Atualmente divide a vida entre pesquisas em Humanidades Digitais e o portal Disconversa, onde contribui como editor, colunista e webmaster, assim como produtor e editor de áudio no Disconversando. Entre opiniões polêmicas e informações obscuras, enxerga em um disco do Cartola a mesma beleza que no Metal Machine Music do Lou Reed.

Deixe um comentário